• Mais Saúde

Você já teve uma doença bucal? Descubra as mais comuns!


As doenças bucais são mais comuns do que você imagina e todas exigem atenção, pois podem comprometer a saúde e qualidade de vida de qualquer pessoa. A boa notícia é que todas podem ser evitadas com medidas preventivas simples.


Veja as doenças bucais mais comuns e suas formas de prevenção.



A saúde bucal dos brasileiros


Em 2015, o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) publicou o segundo volume da PNS (Pesquisa Nacional de Saúde) realizada em parceria com o Ministério da Saúde. De acordo com a pesquisa, em 2014, 44,1% das pessoas entrevistadas tinham feito uma consulta com o dentista.


O estudo também indicou que apenas 48,1% dos respondentes homens usam escova de dente, creme e fio dental para higienizar a boca. Já entre as mulheres, o percentual é maior, alcançando os 57,1%.


Doenças mais comuns


Tártaro: é formado quando a placa bacteriana não é removida corretamente. Diferente do aspecto rugoso/viscoso da placa, o tártaro é mais denso, pois é uma calcificação. É formado por bactérias, por isso, causa o amarelamento dos dentes, além de poder desencadear quadros de gengivite.

A prevenção é, basicamente, manter uma boa escovação e o uso do fio dental.


Cárie: é a lesão que se forma no esmalte dentário. É causada pelos ácidos das bactérias que consomem os resíduos de alimentos depositados sobre os dentes. Como a degradação do dente é progressiva, existe a possibilidade de perdê-lo, além de comprometer a estrutura dentária. Prevenir cáries é, assim como na maioria dos casos, por meio da higiene dos dentes e da boca.


Gengivite: inflamação da gengiva provocada por bactérias que se instalam em suas bordas. Para combatê-la, é necessário, além de escovar os dentes após cada refeição, usar o fio dental até a borda da gengiva. Mas atenção: como a doença também pode ser causada pelo diabetes, é importante manter a glicose sob controle.


Periodontite: inflamação causada pela gengivite não tratada ou indevidamente cuidada. Se o problema agravar, pode afetar todos os tecidos que sustentam a dentição, gerando o desgaste deles. Com o tempo, os dentes ficam moles e podem se soltar da gengiva.

Neste caso, a prevenção começa no diagnóstico da gengivite. Em seguida, é importante realizar o tratamento adequado. A boa higiene, como sempre, é um importante aliado no combate a doença e proliferação das bactérias.


Retração das gengivas: neste caso, a gengiva sobe e deixa a raiz do dente exposta. Má escovação, força exagerada ao escovar os dentes e o uso de escovas com cerdas duras podem ser algumas das causas. Fatores hereditários e mau posicionamento dos dentes também podem gerar o problema.

O tratamento para a retração das gengivas consiste em cirurgias de enxerto para cobrir as raízes expostas.

0 visualização

Instituto Catarinense Mais Saúde ®