• Mais Saúde

Narguilé e seus perigos


O narguilé cresceu muito de popularidade nos últimos anos, principalmente entre o público jovem e adolescente. Prova disso é a crescente no número de estabelecimentos específicos para o consumo do mesmo, chamadas de tabacarias.


O narguilé teve sua origem na India, onde é fumado regularmente por sua população e tem seu uso como algo cultural. Apesar de parecer menos perigoso e mais agradável que o tabaco comum, o narguilé, assim como o cigarro, também possuí altos níveis de nicotina.


Atualmente o narguilé conta com milhões de usuários no mundo todo, e no brasil não é diferente. Segundo levantamento feito pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), cerca de 200 mil pessoas fumam ou já fumaram narguilé em algum momento da sua vida.



Como ele funciona?

O aparelho possui um reservatório (vaso) com água em sua base, um corpo por onde se acopla a(s) mangueira(s), e um fornilho onde se é colocado o tabaco e/ou essências de diferentes sabores.


Após a estrutura montada, é colocado um recipiente para realizar a queima do carvão sobre a essência. Também pode ser usado um papel alumínio revestindo o fornilho.


O funcionamento do narguilé é simples: a essência/tabaco é esquentada pelo carvão em brasa, gerando assim a fumaça. Em seguida ela passa pelo corpo do aparelho onde a fumaça é resfriada pela água, e segue pela mangueira até a boca do usuário.

Riscos

Muitas pessoas, principalmente as mais jovens, tendem a usar o narguilé por achar que ele é menos nocivo a saúde do que o cigarro comum, o que de fato não é verdade.


A Associação Americana do Coração, divulgou um estudo alertando para o risco de desenvolvimento progressivo de doenças cardíacas e pulmonares para pessoas que fazem uso constante do narguilé.


Uma análise feita em várias pessoas, em 4 países diferentes, revelou que usuários diários de narguilé possuem níveis médios de nicotina iguais ao de uma pessoa que fuma em média 10 cigarros por dia.


Em ambientes de tabacarias, cada “sessão” do narguilé pode levar até uma hora antes de ser trocada, e nesse tempo, o nível de nicotina sugado para o corpo é o equivalente a 4 dias fumando 2 cigarros diários.


Além disso, permanecer em um ambiente fechado (como tabacarias) por este tempo, acarreta numa exposição a uma alta concentração de monóxido de carbono, cerca de 35 vezes maior do que a de um cigarro comum, o que seria cerca de 10 pessoas fumando um cigarro ao mesmo tempo no local.


Seu uso frequente pode desencadear uma série de males que podem ser tão prejudiciais quanto os do cigarro, como dependência, impotência, danos ao coração, e até cânceres, tanto no pulmão quanto na boca.

0 visualização

Instituto Catarinense Mais Saúde ®