Dedos de COVID: saiba identificar estes sinais da doença


Apesar de uma aparente melhora no cenário, a pandemia no país ainda não chegou ao fim. Enquanto no Brasil a doença oscila, diversos lugares do mundo passam por uma forte segunda onda.


Verdade é que a COVID-19 gera uma série de sintomas, e os especialistas ainda analisam com cautela esses sinais, pois as informações são relativamente novas e sempre há descobertas recentes.


Esses sintomas incluem "os dedos da COVID", que foram descobertos e alertados já no início da pandemia. Os médicos notaram que tanto em casos mais leves quanto nos mais graves, apareciam lesões roxas/azuis nos dedos dos pés de pacientes.


Os sintomas


Foram realizados estudos em universidades e centros de pesquisa, onde os cientistas afirmaram os “dedos da COVID” podem durar semanas e até meses, seja enquanto está infectado ou até mesmo depois de curado.


Os pesquisadores explicam que erupções cutâneas se tornam mais comuns quando o corpo luta contra infecções, principalmente as virais, ainda mais quando estão sendo tratados através de antibióticos. Apesar disso, a ligação exata que a COVID tem com os dedos do pé, por mais que venha sendo cada vez mais comum, ainda não é certa.


Em uma das pesquisas, numa biópsia feita, foi retirado uma pequena parte da ferida, e foram encontradas partículas do vírus nas pequenas células dos vasos sanguíneos dos pés. Apesar disso, nenhum dos pacientes (todos crianças) apresentaram sintomas respiratórios.


No início pensavam que esse sintoma atingia apenas os mais jovens, mas com o tempo e com o andamento das pesquisas, foram descobertos mais casos onde os dedos de Covid apareceram. E além deles, outras erupções cutâneas pelo corpo podem aparecer e, ocasionalmente, tinham ligação direta com o estágio da doença no paciente.

Como identificar


Caso o paciente já tenha testado positivo para COVID-19, seja caso assintomática, leve ou grave, e apresentar vermelhidão ou lesões avermelhadas/roxas, que é o fator mais notável, pode ser um sinal de que o vírus está ou estava ativo no corpo recentemente.


Em suma, a forma mais comum do sintoma se dá pelas erupções cutâneas. Apesar disso, as lesões não seguem um padrão – podem aparecer em forma de frieira, causando coceiras e ardências.


A forma roxa ou azul da lesão nos dedos é mais rara e está associada à necrose do tecido, isso porque a circulação sanguínea na área torna-se escassa. Este está relacionado a casos mais graves de COVID, geralmente em pacientes idosos.


Caso você desconfie de algum desses sintomas, principalmente se já tiver testado positivo para COVID-19 e apresentar sintomas, não deixe de consultar um médico e informa-lo de todos os sinais.


Conosco você tem até 70% de desconto em exames e consultas. Clique aqui para que nossa equipe possa entrar em contato para lhe explicar melhor como funciona.



Instituto Catarinense Mais Saúde ®