Câncer de pele: sutil e perigoso



O câncer de pele se origina do crescimento irregular de células presente na pele e, por conta disso, podem existir diferentes tipos de câncer de pele.


Mais comum em pessoas acima dos 40 anos, especialmente em homens, no câncer de pele algumas dessas células podem começar a crescer de forma anormal e descontrolada após um tempo. O alto número de pintas no corpo pode indicar a presença da doença.



Nesta condição, cerca de 90% dos casos acontecem devido a exposição solar. Outros fatores de risco que devêm ser levados em consideração são: o uso de câmaras de bronzeamento, histórico familiar e histórico de baixa imunidade.


Tipos de câncer de pele


Carcinoma Basocelular: este é o tipo mais comum, contemplando certa de 70% dos casos de câncer de pele no país. Felizmente, este é o menos agressivo, por possuir uma capacidade de desenvolvimento menor que outros tipos. Costuma aparecer em áreas mais expostas, como rosto, pescoço e braços.


Carcinoma Espinocelular: este é o segundo tipo mais comum. Este costuma aparecer em partes do corpo como o couro cabeludo, nuca e na região da orelha, e é mais comum em pessoas idosas. Tem a evolução um pouco mais rápida e agressiva do que o tipo anterior.


Melanoma: este é um tipo de tumor maligno, que pode aparecer perto dos olhos, nariz, orelha, e genitais, além de poder crescer internamente. É muito perigosa pois pode desenvolver e invadir outros órgãos, como coração e cérebro. Em contra partida, é o tipo menos comum comparado aos outros.


Sintomas e tratamentos


Os sintomas se manifestam de maneiras diferentes, porém fique atento a alguns sinais característicos:


• Lesões avermelhadas ou rosadas que não cicatrizam; • Lesões indolores; • Crescimento de pintas e manchas elevadas. • Tumores com aparência perolada, como se fosse coberto de cera; • Pode sangra facilmente; • Pode conter uma crosta e ocorrer vazamento de líquido;


O diagnóstico tardio dificulta no tratamento, portanto realize os exames de rotina e consulte um especialista em caso de suspeita.


O tratamento ideal inicia pela retirada do tumor cancerígeno, porém, em alguns casos pode não ser o suficiente. O médico pode indicar que, após realizada a remoção, seja necessária outro tipo de tratamento para erradicar a doença, que pode alternar de acordo com o tipo do câncer.


Tenha cuidado com a exposição solar, evite os horários mais quentes do dia, utilize de protetor solar diariamente, não utilize câmaras de bronzeamento, observe regularmente a sua pele e consulte um dermatologista uma vez ao ano para um exame completo.


Nós oferecemos acesso a saúde com até 70% de desconto em exames e consultas com os melhores profissionais da saúde. Clique aqui para conversar com nossa equipe e saber mais sobre como funciona.

Instituto Catarinense Mais Saúde ®